NESTA TERÇA-FEIRA (04/08) OS RADARES ESTARÃO OPERANDO NOS SEGUINTES LOCAIS:

RADAR 1 - AVENIDA GETÚLIO VARGAS (BAIRRO/CENTRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H;

RADAR 2 - AVENIDA GETÚLIO VARGAS (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H;

RADAR 3 - AVENIDA COMENDADOR ALFREDO MAFFEI (CENTRO/BAIRRO) VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA DE 60 KM/H.

A estudante indígena Guanice Falcão Soares está no 2° ano do curso de Educação Física. Da etnia Tariano, sua casa fica em São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas, na fronteira com a Colômbia e a Venezuela. Em 2018, pela primeira vez, o processo de seleção da UFSCar para candidatos indígenas foi realizado lá. Mesmo sem muita esperança de se tornar estudante universitária, Guanice se inscreveu para a prova. "Meus pais são agricultores, tenho 7 irmãos e, mesmo com todo estímulo do meu pai, achava que seria impossível eu sair da minha cidade", conta Guanice.

Um panfleto mudou os rumos da jovem. "Não pude acreditar quando recebi um panfleto, no dia da prova, com informações sobre os inúmeros auxílios que a UFSCar oferecia aos estudantes em vulnerabilidade", conta. "Não seria fácil, mas, ao menos, teria um lugar para dormir e alimentação", diz Guanice. 

Aprovada no vestibular, chegou a São Carlos com ajuda de amigos, desconhecidos e de uma missionária. No mesmo dia, assinou os termos e ingressou no Programa de Assistência Estudantil da UFSCar (PAE) com apoio das bolsas moradia e alimentação. Mais tarde, conquistou uma bolsa atividade e, hoje, integra o programa da Bolsa Permanência.  

Como ela, 2.400 estudantes tiveram algum tipo de apoio do Programa de Assistência Estudantil (PAE), em 2019. O Programa oferece bolsa alimentação (acrescida do auxílio alimentação emergencial e do auxílio jantar, no campus Lagoa do Sino), bolsa moradia (modalidades: vaga, auxílio moradia e auxílio moradia mãe/pai), bolsa atividade e auxílio transporte para o campus Lagoa do Sino. 

Nos últimos anos, o Programa avançou de forma significativa para ampliar a assistência estudantil aos alunos da Universidade. Entre os avanços, a reserva de vagas na Unidade de Atendimento a Criança (UAC). Agora, 25% das vagas da UAC são destinadas a dependentes legais de bolsistas do PAE.

Outro avanço foi o aumento no valor das Bolsas Moradia em Espécie e Mãe/Pai. Desde a criação do benefício, em 2012, o valor da bolsa não havia sido reajustado. "Mesmo com a redução nos valores disponíveis para o custeio de toda a universidade, esforçamo-nos e reorganizamos nosso orçamento para reajustar as bolsas e garantir que elas atendam às demandas dos nossos estudantes", afirma o Vice-Reitor da UFSCar, Walter Libardi.

A gestão da Universidade também a atendeu uma demanda antiga dos estudantes e implantou, no campus de São Carlos, o café da manhã; além disso, ampliou o período de funcionamento do Restaurante Universitário (RU) que, agora, funciona 365 dias por ano. "A demanda pelo café da manhã era de 2016, inclusive foi motivo de ocupação da Reitoria. Para atender aos outros campi, de maneira provisória, até que seja viável a oferta de café da manhã e todas as refeições aos finais de semana, foi criado o "Auxílio Alimentação Emergencial" para os bolsistas alimentação", conta o Pró-Reitor de Assuntos Comunitários e Estudantis, Leonardo Antônio de Andrade.

A UFSCar criou o subsídio "Discente - Categoria Intermediária" para os estudantes da graduação que não integram o PAE e são ingressantes por meio dos grupos 1 e 2 do Sistema de Seleção Unificada (SiSU). Estudantes ingressantes por meio de outros grupos do SiSU que se encontrem em situação de vulnerabilidade socioeconômica também podem solicitar o subsídio. Nesse caso, a refeição do estudante tem o valor de R$2,50. Além disso, estudantes de graduação e pós-graduação têm suas refeições parcialmente subsidiadas, pagando metade do valor nos Restaurantes Universitários. Em 2019, a Universidade disponibilizou R$ 2 milhões do orçamento para atender a esta demanda. 

Todas as ações são planejadas e executadas para promover a democratização do ensino superior de forma efetiva, colaborando com o acesso, permanência e êxito dos estudantes na Universidade. "Se eu não tivesse recebido o panfleto no dia do vestibular falando dos auxílios, com certeza não teria me inscrito na UFSCar. Quando eu vi que a Universidade oferecia essa assistência, abracei a oportunidade. A assistência estudantil é a esperança para aqueles que não têm condições de continuar seus estudos", finaliza a estudante indígena Guanice Falcão Soares.



Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Portal SCDN. Se achar algo que viole as regras de uso, denuncie.


Código de segurança
Atualizar codigo